Ela, Louise

Hm, certo. Quem sou eu e por que criei essa página? Ok, vamos lá. Sou uma menina com olfato aguçado, visão embaçada e audição um tanto falha. Tenho paladar exigente, muitas vezes minha falta de tato se faz presente e acredito no poder do sexto sentido, só não sei ainda do que o meu é capaz.

Em momentos de pouca alegria, lembro de cenas do passado que me fazem sorrir. Também gosto de imaginar situações aleatórias, de preferência que não envolvam nenhum detalhe daquilo que eu estiver passando. Essas coisas me distraem e, quando me dou conta, já estou com o coração bem mais leve. Ajuda bastante. Mas e se em um dia qualquer eu acordar sem lembrar de momento nenhum? Eu realmente não sei como ficaria se isso acontecesse, então decidi transformar todas as lembranças – sejam elas reais ou inventadas – em palavras.

A forma de armazenamento também foi uma das questões a se pensar. Eu poderia escrevê-las no papel e depois guardá-las na gaveta. Essa foi a primeira opção. Só que após terminar a primeira lembrança, percebi que não coloquei todos os detalhes graças a dor que se apossou da minha mão durante o processo. Uma pena. Graças aos céus, sempre – ou quase sempre… – tenho um plano B e decidi digitar. As lembranças ficariam arquivadas em “Meus documentos”, eu não sentiria dor nenhuma e tudo estaria certo.

Aí surgiu o terceiro questionamento: e se a Rubz – Rubz é o nome do meu primeiro computador – sofrer de amnésia também? Ok, dá pra imprimir cada lembrança e guardar na gaveta. Eu só não contava com o fato de que a impressora estragaria. Tá vendo como é bom ter um plano B? No caso esse já deve ser o plano D, não sei, perdi as contas e matemática nunca foi o meu forte… enfim, prosseguindo. Percebi que precisava de outra forma de armazenamento, pra garantir, e minha linha de raciocínio me levou a uma palavra pequenininha que possui uma memória relativamente grande: blog. Isso, um blog! Mas e o nome? Cara, eu nunca fui boa pra nomes…

Coloquei as engrenagens do cérebro pra funcionar mais um pouco. Qual o objetivo da página? Salvar minhas lembranças. Suas lembranças existem graças a? Às pessoas mais importantes na sua vida, é óbvio. Aquelas que me deram o ponto de partida e eu me considero a menina mais sortuda do mundo por tê-las. Então, se a sorte foi tão grande assim e ainda por cima veio em dobro, por que não “dois trevos de quatro folhas”? Eles já são meus brotinhos mesmo! Claro, eu não os chamo de “brotinhos” no dia-a-dia. De segunda a domingo costumo chamá-los de “mãe” e “pai”. Assim ficou resolvido: será Dois Trevos de Quatro Folhas.

1) Minhas lembranças vão estar intactas caso eu sofra amnésia. 2) Minhas lembranças vão continuar intactas se a Rubz também sofrer amnésia. 3) Por favor, wordpress, não deixe de existir!

Espera, você ainda quer saber mais alguma coisa? Hm, vejamos. Adoro ler e meus livros preferidos são os da série Harry Potter. Gosto de escrever resenhas, inclusive considero a possibilidade de publicar algumas aqui. Tenho a mania de buscar datas de aniversário em placas de carro – encontrei a minha em um celta vermelho! – e falando em carro, sempre que encontro um fusca azul na rua, dou um tapinha na testa de quem estiver do meu lado – se essa pessoa for minha amiga, é claro. Ah, espera, não era esse tipo de coisa que você queria saber? Você quer saber meu nome? Olha, você pode me chamar de Louise. Afinal, para o Sr. Jilliam esse é o meu verdadeiro nome.

Um comentário sobre “Ela, Louise

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s